quarta-feira, abril 30, 2003


CONSTITUIÇÃO EUROPEIA E DIREITO PORTUGUÊS

Entre a Letra e o Espírito

Paulo Ferreira da Cunha

As coisas mais importantes em Direito não devem ser ditas, mas sentidas e vividas, e os princípios mais nobres não ganham em ser codificados. Lassalle, um dos clássicos do direito constitucional, chamou à Constituição “folha de papel”. O perigo é as constituições viverem apenas no papel e não serem, como disse outro clássico, verdadeiras muralhas da Cidade.

Não será o principal valor da nossa Constituição a Justiça? Porém, não há nela um único artigo que o diga taxativamente. Também não está escrito em nenhuma lei que o Direito positivo, hoje fundamentalmente as leis, tenha qualquer limite: mas é evidente que o legislador não pode tudo, e que o limite principal à sua actividade é o Direito Natural: princípios valorativos que hoje conhecemos pelo nome mais comum de Direitos Humanos.

A Constituição de 1933, pelo contrário, colocava expressamente limites ao Estado: a moral e o direito. Resultado? O preceito ficou no papel, como se sabe.

Vem isto a propósito da Constituição europeia que nos estão a fazer. Um dos artigos que ameaça passar a lei é o que estabelece, preto no branco, o primado do Direito Europeu. Isto significa que os actos normativos nacionais de todos os países membros passarão necessaria e totalmente a ter um valor secundaríssimo, a serem uma espécie de posturas municipais no grande Estado Europeu.

A grande vantagem de haver direito europeu e direitos nacionais é a de se criar uma racionalidade de um direito comum, o europeu, a par da especialidade de direitos nacionais, em diálogo, e não em subordinação. Até agora, agindo-se só de forma doutrinal, e não dogmática, colocava-se na verdade a decisão final na mão dos juizes: o que, em vez de criar caos, só tem sido benéfico. Os juizes podem escolher as melhores soluções jogando com uma pluralidade de ordenamentos.

Sou dos que pensam que deveríamos continuar a aprofundar o pluralismo normativo que já foi a força do Direito da Europa, investindo seriamente também na formação dos juizes. Quanto mais ordenamentos normativos, mais o juiz pode ponderar argumentos e orientações, e julgar melhor... As leis só por si são cegas, os juizes é que são o verdadeiro rosto da justiça. E não há leis que vivam sem juizes. Sou dos que prefeririam ser julgado por juizes ingleses (esses que nem têm constituição codificada nenhuma, nem nunca dela precisaram) com leis soviéticas, que por juizes soviéticos com leis inglesas...

Mais do que o primado stricto sensu, defendo a concorrência prática (que é isso que vai acontecer sempre, quer se queira quer não) entre o Direito Europeu e os direitos nacionais: e que, em cada caso, ganhe o melhor.

Mas, mesmo que defendesse o primado puro e simples, jamais cairia na tentação de o passar ao “código”. A letra mata, só o espírito vivifica: isso também vale em Direito.

A Constituição inglesa, sem dúvida uma das mais democráticas e duráveis, está dispersa, como a actual constituição europeia (que já a há), por múltiplos documentos, desde a Magna Carta, até aos tratados da União Europeia... A Constituição americana, que só foi escrita porque houve o processo de independência, é lacónica, e ninguém poderá duvidar que é em grande medida feita pelas suas históricas interpretações. Por isso é que é a mais antiga constituição codificada ainda em vigor... Adapta-se pela jurisprudência...

Escrever é cristalizar, é manietar, e neste caso afirmar esse princípio do primado do europeu, numa constituição aprovada por tratado e não por uma constituinte eleita para o efeito, é democraticamente absurdo.

A tensão entre direitos nacionais e direito europeu é antiga. O problema já se colocava na Idade Média: é a questão do Direito comum (romano e canónico).

Em Portugal, todas as Ordenações (compilações legislativas oficiais, precedendo os códigos) se sentiram na obrigação de resolver o conflito: que direito se aplica e quando? O direito da Europa (romano, canónico), ou o nacional? E sempre se foram encontrando soluções, cada uma ao sabor da época, mais ou menos equilibradas. Mas todas resolvidas não pelo Papa ou pelo Imperador (a Europa) mas pelos próprios Estados, por cada Estado...

E a História tem mais lições. Houve um governante utopista, de pulso de ferro, que desejou o orgulhosamente sós jurídico: foi o Marquês de Pombal, que praticamente proibiu o Direito europeu (leia-se, romano e canónico) – como também o costume, direito “local” – e tudo pretendeu submeter ao “direito pátrio”, cujo estudo introduziu, aliás, na Universidade portuguesa.

Resultado? Os juizes não lhe obedeceram, e continuaram a aplicar direito romano, canónico, ou direito português conforme foram achando melhor. Na verdade, aplicaram mais direito europeu que nacional, porque na altura era de melhor qualidade...

O que agora se está a passar é o inverso: querer subordinar tudo ao direito europeu, não poderá também motivar uma nova inefectividade das normas pela sua inaplicação pelos juizes, os autênticos criadores do Direito?

AL-SAHAF

Há muitos dias que não falávamos deste nosso "amigo". Entre as muitas dúzias de anedotas que circulam, vejam estas:

Al Sahaf morreu. Foram necessários 62 anjos para o levar para o túmulo: 2 para o transportar e 60 para o tentar convencer de que tinha morrido!

Sahaf negou a queda do regime - Essas imagens, dizia ele, não são de Bagdad, foram filmadas num estúdio de Hollywood! Então e o derrube da estátua do Saddam, perguntaram os jornalistas? - Não acreditem na propaganda dos americanos. A estátua foi retirada, mas foi para trabalhos de manutenção e pintura!

DUAS NOVAS REVISTAS

Duas novas revistas no mercado, daquelas que aqui no Fumaças, gostamos logo, só pelo nome:

Blue Living

Blue Travel


Bom grafismo, papel assim-assim. A primeira dirigida pela Luisa Jacobetty, que estava à frente da Evasões, o que é à partida garantia de qualidade. Depois do fim de semana, haverá uma apreciação mais profunda.

PUROS - O Prazer que se aprende

2ª parte

Um bom charuto fecha a porta às vulgaridades da vida.
Franz Listz

Pequeno léxico:

Capa: A folha grande que constitui a parte exterior de um charuto

Cinta: Banda de papel que envolve os charutos

Corona: Formato de charuto que se tornou o standard dos habanos, com 142 mm de comprimento, 16,67 de diâmetro e um peso de 9,3 gramas

Havano: Charuto feito apenas com tabacos de Cuba

Hecho totalmente a mano: Designação genérica dos charutos produzidos integralmente à mão e que consta das caixas, quado for o caso

Humidificador: Caixa, armário ou sala, usados para conservar os charutos com a humidade ideal (70 %)

Liga: Mistura de tabaco que constitui a tripa

Módulo: Conjunto das características físicas de um charuto - comprimento, diâmetro e peso

Puro: Palavra espanhola para designar um havano

Tripa: Mistura das folhas de tabaco que formam o interior de um charuto

Vitola: É a resultante da conjugação do módulo pela marca que o produz.

Fumo com moderação. Só um charuto de cada vez.
Mark Twain

terça-feira, abril 29, 2003


SE HOUVESSE DEGRAUS NA TERRA...

Se houvesse degraus na terra e tivesse anéis o céu,
eu subiria os degraus e aos anéis me prenderia.
No céu podia tecer uma nuvem toda negra.
E que nevasse, e chovesse, e houvesse luz nas montanhas,
e à porta do meu amor o ouro se acumulasse.

Beijei uma boca vermelha e a minha boca tingiu-se,
levei um lenço à boca e o lenço fez-se vermelho.
Fui lavá-lo na ribeira e a água tornou-se rubra,
e a fímbria do mar, e o meio do mar,
e vermelhas se volveram as asas da águia
que desceu para beber,
e metade do sol e a lua inteira se tornaram vermelhas.

Maldito seja quem atirou uma maçã para o outro mundo.
Uma maçã, uma mantilha de ouro e uma espada de prata.
Correram os rapazes à procura da espada,
e as raparigas correram à procura da mantilha,
e correram, correram as crianças à procura da maçã.

Herberto Helder
PUBLICIDADE GRATUITA:

O BD FÓRUM é um evento que pretende celebrar um género - a Banda Desenhada - de forma diferente de todos os que têm sido organizados até hoje em Portugal. Contará para isso com uma componente comercial forte, de onde se destaca a presença de uma extensa lista de autores, de apostas editoriais traduzidas em variadíssimos lançamentos, e uma promoção apostada em conseguir garantir uma forte afluência de público. Sobretudo, de público predisposto a tomar contacto com o que a BD tem de melhor: os livros.

São muitos os autores convidados para a primeira edição do BD FÓRUM. O número de presenças confirmadas garante já que o evento contará com a maior reunião de sempre de autores estrangeiros de BD em Portugal. A lista de convidados é uma verdadeira constelação de estrelas, oriundos de vários países e consagrados em diversos estilos, nalguns casos, inclusive, em outras áreas (cinema, televisão, publicidade, literatura, ilustração, animação, etc.). Destacam-se também alguns dos mais promissores autores de uma nova geração e alguns dos mais prestigiados autores nacionais. A lista completa de confirmações, até ao momento, é a seguinte: Denis Bajram, Alessandro Barbucci & Barbara Canepa (criadores de "Witch", o sucesso mais recente da Disney Publishing), Miguel Castillo, Amanda Conner, Elias, Carlos Ezquerra, Civiello, José Carlos Fernandes, Massimiliano Frezzato, Neil Gaiman (considerado um dos três maiores argumentistas mundiais de BD e vencedor de vários prémios literários), Alexa Gajic, Fernando Gonsales, Jorge Gonzalez, Valerie Mangin, Ralph Meyer, Carlos Pacheco, Jimmy Palmiotti, Luis Royo (um dos melhores ilustradores da actualidade, com milhões de livros vendidos em todo o mundo), David Soares, e Alberto Varanda (o autor português, radicado em França, de maior prestígio internacional). De destacar ainda que todos os autores têm obra editada (ou tê-lo-ão durante o evento) em Portugal.

INFORMAÇÕES ADICIONAIS
- A entrada é gratuita.
- Todos os livros disponíveis no BD FÓRUM - incluindo os lançamentos - terão descontos sobre o P.V.P.

LOCAL E HORÁRIO
Fórum Telecom, Picoas, Lisboa
Dia 1 de Maio 13h00 - 24h00
Dias 2 e 3 de Maio 10h00 - 24h00
Dia 4 de Maio 10h00 - 20h00-


Site: BDforumLisboa



segunda-feira, abril 28, 2003


O OITAVO POEMA DE "O GUARDADOR DE REBANHOS", também conhecido como "Poema do Menino Jesus"

Num meio-dia de fim de Primavera
Tive um sonho como uma fotografia.
Vi Jesus Cristo descer à terra.

Veio pela encosta de um monte
Tornado outra vez menino,
A correr e a rolar-se pela erva
E a arrancar flores para as deitar fora
E a rir de modo a ouvir-se de longe.

Tinha fugido do céu.
Era nosso demais para fingir
De segunda pessoa da Trindade.
No céu tudo era falso, tudo em desacordo
Com flores e árvores e pedras.
No céu tinha que estar sempre sério
E de vez em quando de se tornar outra vez homem
E subir para a cruz, e estar sempre a morrer
Com uma coroa toda à roda de espinhos
E os pés espetados por um prego com cabeça,
E até com um trapo à roda da cintura
Como os pretos nas ilustrações.
Nem sequer o deixavam ter pai e mãe
Como as outras crianças.
O seu pai era duas pessoas -
Um velho chamado José, que era carpinteiro,
E que não era pai dele;
E o outro pai era uma pomba estúpida,
A única pomba feia do mundo
Porque nem era do mundo nem era pomba.
E a sua mãe não tinha amado antes de o ter.
Não era mulher: era uma mala
Em que ele tinha vindo do céu.
E queriam que ele, que só nascera da mãe,
E que nunca tivera pai para amar com respeito,
Pregasse a bondade e a justiça!

Um dia que Deus estava a dormir
E o Espírito Santo andava a voar,
Ele foi à caixa dos milagres e roubou três.
Com o primeiro fez que ninguém soubesse que ele tinha fugido.
Com o segundo criou-se eternamente humano e menino.
Com o terceiro criou um Cristo eternamente na cruz
E deixou-o pregado na cruz que há no céu
E serve de modelo às outras.
Depois fugiu para o Sol
E desceu no primeiro raio que apanhou.

Hoje vive na minha aldeia comigo.
É uma criança bonita de riso e natural.
Limpa o nariz ao braço direito,
Chapinha nas poças de água,
Colhe as flores e gosta delas e esquece-as.
Atira pedras aos burros,
Rouba a fruta dos pomares
E foge a chorar e a gritar dos cães.
E, porque sabe que elas não gostam
E que toda a gente acha graça,
Corre atrás das raparigas
Que vão em ranchos pelas estradas
Com as bilhas às cabeças
E levanta-lhes as saias.

A mim ensinou-me tudo.
Ensinou-me a olhar para as coisas.
Aponta-me todas as coisas que há nas flores.
Mostra-me como as pedras são engraçadas
Quando a gente as tem na mão
E olha devagar para elas.

Diz-me muito mal de Deus.
Diz que ele é um velho estúpido e doente,
Sempre a escarrar para o chão
E a dizer indecências.
A Virgem Maria leva as tardes da eternidade a fazer meia.
E o Espírito Santo coça-se com o bico
E empoleira-se nas cadeiras e suja-as.
Tudo no céu é estúpido como a Igreja Católica.
Diz-me que Deus não percebe nada
Das coisas que criou -
"Se é que ele as criou, do que duvido." -
"Ele diz por exemplo, que os seres cantam a sua glória,
Mas os seres não cantam nada.
Se cantassem seriam cantores.
Os seres existem e mais nada,
E por isso se chamam seres."
E depois, cansado de dizer mal de Deus,
O Menino Jesus adormece nos meus braços
E eu levo-o ao colo para casa.

... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ...

Ele mora comigo na minha casa a meio do outeiro.
Ele é a Eterna Criança, o deus que faltava.
Ele é o humano que é natural.
Ele é o divino que sorri e que brinca.
E por isso é que eu sei com toda a certeza
Que ele é o Menino Jesus verdadeiro.

E a criança tão humana que é divina
É esta minha quotidiana vida de poeta,
E é por que ele anda sempre comigo que eu sou poeta sempre.
E que o meu mínimo olhar
Me enche de sensação,
E o mais pequeno som, seja do que for,
Parece falar comigo.

A Criança Nova que habita onde vivo
Dá-me uma mão a mim
E outra a tudo que existe
E assim vamos os três pelo caminho que houver,
Saltando e cantando e rindo
E gozando o nosso segredo comum
Que é saber por toda a parte
Que não há mistério no mundo
E que tudo vale a pena.

A Criança Eterna acompanha-me sempre.
A direcção do meu olhar é o seu dedo apontado.
O meu ouvido atento alegremente a todos os sons
São as cócegas que ele me faz, brincando, nas orelhas.

Damo-nos tão bem um com o outro
Na companhia de tudo
Que nunca pensamos um no outro,
Mas vivemos juntos e dois
Com um acordo íntimo
Como a mão direita e a esquerda.

Ao anoitecer brincamos as cinco pedrinhas
No degrau da porta de casa,
Graves como convém a um deus e a um poeta,
E como se cada pedra
Fosse todo o universo
E fosse por isso um grande perigo para ela
Deixá-la cair no chão.

Depois eu conto-lhe histórias das coisas só dos homens
E ele sorri porque tudo é incrível.
Ri dos reis e dos que não são reis,
E tem pena de ouvir falar das guerras,
E dos comércios, e dos navios
Que ficam fumo no ar dos altos mares.
Porque ele sabe que tudo isso falta àquela verdade
Que uma flor tem ao florescer
E que anda com a luz do Sol
A variar os montes e os vales
E a fazer doer aos olhos dos muros caiados.

Depois ele adormece e eu deito-o.
Levo-o ao colo para dentro de casa
E deito-o, despindo-o lentamente
E como seguindo um ritual muito limpo
E todo materno até ele estar nu.

Ele dorme dentro da minha alma
E às vezes acorda de noite
E brinca com os meus sonhos.
Vira uns de pernas para o ar,
Põe uns em cima dos outros
E bate palmas sozinho
Sorrindo para o meu sono.

... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ...

Quando eu morrer, filhinho,
Seja eu a criança, o mais pequeno.
Pega-me tu ao colo
E leva-me para dentro da tua casa.
Despe o meu ser cansado e humano
E deita-me na tua cama.
E conta-me histórias, caso eu acorde,
Para eu tornar a adormecer.
E dá-me sonhos teus para eu brincar
Até que nasça qualquer dia
Que tu sabes qual é.

... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ...

Esta é a história do meu Menino Jesus.
Por que razão que se perceba
Não há-de ser ela mais verdadeira
Que tudo quanto os filósofos pensam
E tudo quanto as religiões ensinam ?

Alberto Caeiro
CONSTITUIÇÃO EUROPEIA? JÁ TEMOS, OBRIGADO!

Os Portugueses começam a saber pelos media que nos estão a fazer uma Constituição.
Trata-se da Constituição para a Europa, que alguns já admitem vir a chamar-se, mimeticamente, Estados Unidos da Europa. The Economist, dos EUA, até já nos forneceu um modelo, para o caso de nos querermos inspirar...

Os autores desta constituição, reunidos na Convenção Europeia, serão pessoas muito sábias, competentes, respeitáveis e bem intencionadas (algumas sabemos que sem dúvida o são), mas em quem não votamos directamente. A tal obrigaria o respeito pelo poder constituinte originário que detemos como povos europeus.

Ao contrário do que tudo indicaria, depois da Revolução Francesa, e do “Século do Povo”, prescinde-se da representação directa, da convocação de uma Constituinte Europeia, precedida de referendos nacionais para saber se os Europeus querem uma Constituição voluntarista: é pois uma elite que nos está a fazer a Constituição.

Aparentemente, para alguns, a razão da defesa de que a Constituição Europeia se sobreponha à Portuguesa é haver naquela mais direitos. O mesmo se disse para a Carta dos Direitos, que se pensa em integrar na constituição europeia.

Diga-se que os que haverá a mais são sobretudo supérfluos, como tem sido referido por grandes especialistas: por exemplo, aquele art. 24 que "dá" às crianças o direito de conviverem com os pais. Caso para dizer: só há boas leis destas porque há maus costumes...Como se isso não fosse direito natural óbvio. Não precisamos da Carta para ter esse direito, e com ele, se os pais não quiserem, dificilmente o teremos.

Mas ao lado de coisas redundantes, haverá também, pelo contrário, coisas bem perigosas, certamente: o primado de todo o direito das instituições da União sobre todo o direito nacional, deixando-nos, como País, ao nível de mera autarquia local (art. 9, n.º 1 -
Convenção Europeia).

E haverá, certamente, um Presidente Europeu que jamais poderemos sonhar que venha a ser português: nem ex-presidente, nem ex-primeiro ministro, nem ex-candidato a tais cargos. E pior ainda: que não deixará de transportar consigo a nacionalidade de origem... Temos visto isso já em figuras que deveriam encarnar o uno ideal europeu...

E haverá ainda, muito provavelmente, um directório europeu que reduzirá Portugal, no contexto europeu, à sua ínfima expressão populacional, que nada tem a ver com a sua dignidade e importância como Nação autónoma e que nos limitará profundamente o papel activo que somos capazes de ter na União. Perderemos desde logo o Comissário europeu, com toda a certeza.

O silêncio deixa-nos num engano de alma ledo e cego. Depois, virá a costumada técnica de andar a reboque dos factos internacionais, como já aconteceu, ainda não há muito, no caso do Tribunal Penal Internacional. Realmente, quando tudo estiver pronto sem a participação popular, muito legalistas, lá iremos nós rever a Constituição, mais uma vez, rebaixando-a à categoria de pouco mais que "mera folha de papel"...

E tudo para quê? A União Europeia já tem uma Constituição, feita de Tratados, de sentenças, de experiência. É uma Constituição fruto da história, do tempo, uma constituição natural, flexível, adaptável, uma constituição para o futuro. A Constituição que nos estão a fazer, uma Constituição contra a pretensa "selva" do direito comunitário, sem dúvida poderá ser muito prática para algumas centenas de cidadãos interessados no assunto consultarem, num livrinho singelo, cómoda para os juristas positivistas invocarem de artigos em riste. Mas será uma constituição rígida, imposta pela cúpula, e que matará a capacidade de evolução das forças constitucionais vivas da Europa, que não são os eurocratas, mas os povos europeus. Os quais, perante tanta burocracia e tanta cristalização, poderão mesmo reagir desinteressando-se de uma Europa imposta.

Defendamos a Europa, defendamos a Constituição europeia vigente, compatível e articulada com a nossa Constituição democrática. Ainda se lembram do 25 de Abril!?
A partir de hoje, irá colaborar com o Fumaças o Professor Catedrático Paulo Ferreira da Cunha, da Faculdade de Direito do Porto.

Bem vindo!

domingo, abril 27, 2003


NÃO PASSARÃO

Não desesperes, Mãe!
O último triunfo é interdito
Aos heróis que o não são.
Lembra-te do teu grito:
Não passarão!

Não passarão!
Só mesmo se parasse o coração
Que te bate no peito.
Só mesmo se pudesse haver sentido
Entre o sangue vertido
E o sonho desfeito.

Só mesmo se a raiz bebesse em lodo
De traição e de crime.
Só mesmo se não fosse o mundo todo
Que na tua tragédia se redime.

Não passarão!
Arde a seara, mas dum simples grão
Nasce o trigal de novo.
Morrem filhos e filhas da nação,
Não morre um povo!

Não passarão!
Seja qual for a fúria da agressão,
As forças que te querem jugular
Não poderão passar
Sobre a dor infinita desse não
Que a terra inteira ouviu
E repetiu:
Não passarão!

Miguel Torga in Poemas Ibéricos, 1965

Nota: este poema costumava ser lido por Vera Lagoa, na manifestação que organizava no dia 1º de Dezembro

quinta-feira, abril 24, 2003


25 DE ABRIL

Esta é a madrugada que eu esperava
O dia inicial inteiro e limpo
Onde emergimos da noite e do silêncio
E livres habitamos a substância do tempo

Sophia de Mello Breyner Andresen

REFORMA DO SISTEMA POLÍTICO

Nota final

As opiniões aqui expressas foram baseadas na análise da legislação existente, das propostas apresentadas pelo PS, PCP e BE e declarações de dirigentes do PSD e CDS (aqui não se inventam documentos, sejam eles estatutos, decretos ou outros). Não consegui obter as proposta do PSD e CDS. É a habitual pecha deste Governo: não publicita o que faz. Ou talvez não haja interesse em que este assunto seja debatido fora do núcleozinho habitual.

REFORMA DO SISTEMA POLÍTICO (IV)

Circulos Uninominais? Não interessa aos partidos do costume - fica para mais tarde!

Participação dos cidadãos na vida política? É baixa? Aumentem-se os limites mínimos, para fechar ainda mais o circulo dos felizes eleitos.

And so on, and so on...

Resumindo: tudo o que poderia pôr em causa o poderio dos dois grandes partidos foi omitido; restringiu-se ainda mais o acesso de "outros". A política portuguesa é cada vez mais um círculo restrito auto-alimentado!

REFORMA DO SISTEMA POLÍTICO (III)

O modelo interno de funcionamento dos partidos

A obrigatoriedade de todos os partidos se conformarem às mesma regras de organização interna é incrível! Só adere a um partido quem quer; ao aderir tem a obrigação de saber quais as regras de funcionamento e se adere é porque as aceita. Vir alegar que o voto tem de ser secreto, que não pode haver partidos racistas, fascistas, etc é na essência uma atitude prepotente e limitativa das liberdades individuais. Qual será o próximo passo? Proibir o direito de tendência? Estabelecer os números de inerências? Acabar com as jotas? (Esta não deve ser que ajudam a diminuir o desemprego!)

REFORMA DO SISTEMA POLÍTICO (II)

O Financiamento

É nesta área que surgem as únicas verdadeiras alterações nesta questão da reforma do sistema político.

Na prática os partidos passam a ser financiados quase exclusivamente pelo Estado e numa infíma percentagem pelos militantes. Em vez de se optar pela solução proposta pelo PCP de limitar os gastos de campanha, optou-se pela solução mais cómoda para os partidos do arco do sistema: manutenção dos limites anteriormente expressos (artigo 19º da Lei 56/98).

Como PS e PSD são os que gastam mais, é mais fácil colocar o Estado a financiar a quase totalidade das despesas.

Transparência e Fiscalização das contas? Chegou-se a falar da instituição de um verdadeiro sistema de controlo. Mas tal como na maior parte destes assuntos, muito pouco foi para a frente e na essência ficou tudo na mesma: quem quiser gasta o que lhe apetecer, como quiser, que as violações à lei e a apresentação de contas inexactas e incompletas continuarão a não ser sancionadas.

REFORMA DO SISTEMA POLÍTICO (I)

Começando pelo fim: é hoje que o cozinhado vai ao lume.

As alterações cosméticas são muitas, mas questões de fundo há poucas. Mudar qualquer coisa, para que (quase) tudo fique na mesma, evitando ao máximo o aparecimento de concorrência!

As últimas notícias, indicam que já há acordo quanto à questão das assinaturas necessárias para criar novos partidos: fica em 7.500 (por proposta do PS), a meio caminho entre o número actual e o inicialmente proposto. A proposta do PS de que a lei entrasse em vigor no dia 1 de Janeiro de 2004 foi rejeitada por todos os outros partidos (sintomático! - parece que o único que não se sente ameaçado pela Nova Democracia é o PS). Em princípio, entra em vigor a 14 de Maio.

Esta noite discutia-se ainda (entre PS e PSD, claro!) a questão de quando entraria em vigor o financiamento público dos partidos. O PS queria já e o PSD apenas em 2005. Interessante esta posição, dado que para umas coisas é uma data, para outras a data é completamente diferente!

É muito claro que o pedido de Jorge Sampaio aos partidos para que dignificassem a classe política e aproximassem os cidadãos das instituições democráticas não teve eco.

Para além de esta reforma ser apenas cosmética (e cirúrgica - ataca claramente PCP e ND), temos outros aspectos (que nada têem a ver com esta lei) e ligados à dignificação da classe política que continuam a ser uma vergonha. Refiro-me concretamente às questões da imunidade parlamentar do deputado do PSD Cruz Silva e à nomeação de Nobre Guedes do CDS para o Conselho Superior da Magistratura. São ambas uma vergonha e a sua não ocorrência faria muito mais pela dignificação da política portuguesa do qualquer lei que venha a ser votada pela Assembleia.

quarta-feira, abril 23, 2003


TUDO ISTO É FADO

Perguntaste-me outro dia
Se eu sabia o que era o fado
Eu disse que não sabia
Tu ficaste admirado
Sem saber o que dizia
Eu menti naquela hora
E disse que não sabia
Mas vou-te dizer agora

Almas vencidas
Noites perdidas
Sombras bizarras
Na mouraria
Canta um rufia
Choram guitarras
Amor ciúme
Cinzas e lume
Dor e pecado
Tudo isto existe
Tudo isto é triste
Tudo isto é fado

Se queres ser meu senhor
E teres-me sempre a teu lado
Não me fales só de amor
Fala-me também do fado
É canção que é meu castigo
Só nasceu p'ra me perder
O fado é tudo o que eu digo
Mais o que eu não sei dizer

Aníbal Nazaré

SERVIÇO PÚBLICO

Não posso deixar de chamar a vossa atenção para o blog Janela Indiscreta, que está cada vez melhor, cumprindo um verdadeiro serviço público na área da Cultura! A cada livro de que falam acontece-me quase sempre uma de duas coisas: ou vou procurar o meu exemplar para reler ou vou comprá-lo.

Infelizmente o tempo não dá para tudo...

E as gravuras, quadros e afins que reproduzem? Uma maravilha!

Parabéns a toda a equipa!

PARA QUE SERVE A OMS?

Os peritos da OMS estimam que a pneumonia atípica só é contagiosa quando surgem os primeiros sintomas. Para um vírus novo e desconhecido é muito estranho! E os resultados estão à vista: a epidemia está a tornar-se incontrolável.

Já há suspeitas em Hong Kong de que haja portadores do vírus que não desenvolvem a doença. A confirmarem-se estas suspeitas a sua disseminação será ainda maior do que o pensado inicialmente. E a política de enterrar a cabeça na areia seguida inicialmente pelas autoridades de vários países, nomeadamente a China, não veio ajudar nada à luta contra este flagelo.

Esperemos que rapidamente seja encontrada forma de o travar, antes que se transforme numa pandemia!

500 MORTOS POR DIA

500 hoje, 500 amanhã, 500 depois de amanhã...

Onde? Na África do Sul. Muito mais do que no Iraque durante a guerra.

Por quê? Porque uns imbecis quaisquer inventaram uma teoria segundo a qual os retrovirais não servem para nada e portanto neste país não são aplicados estes medicamentos aos doentes com sida. E isto apesar de decisões contrárias dos Tribunais. Que não são cumpridas pelo Governo Sul-Africano.

terça-feira, abril 22, 2003

NOITE

Encontraram-no caído
ao fundo daquela rua;
chamaram-no pelo nome, e era eu!
- O Poeta andava à lua
e adormeceu...

Foi o que disse e jurou
pela sua salvação
a Perdida
que viu tudo da janela...
E o guarda soube por Ela,
pelo pranto que chorava,
quem era na minha vida
o Guarda que me guardava...

- Andar à lua é proibido...
Mas Ela pagou a lei
por um beijo que lhe dei
antes ou depois de ter caído,
nem eu sei...

Miguel Torga in O Outro Livro de Job - 1936

NÃO ERA ESTE QUE ERA CONTRA O ATAQUE AO IRAQUE?

The Daily Telegraph

PERGUNTAS INOCENTES

Porque é que os iraquianos se manifestam agora contra o Saddam e contra o imperialismo norte-americano e britânico?

Porque é que o não fizeram antes?

segunda-feira, abril 21, 2003


RUDOLPH GIULIANI

Este fim de semana prolongado aproveitei para ler o livro "Liderar" de Rudolph Giuliani. Acabou por ser lido quase todo de seguida, de tão interessante que é.

É emocionante a descrição que ele faz de como passou o dia 11 de Setembro de 2001. Faz-nos simultaneamente recordar as terríveis imagens vistas na tv, mas também perceber um pouco o que foi passando pela cabeça dos nova-iorquinos e como foram organizados os socorros.

Ao longo do livro sucedem-se os exemplos concretos de acções por ele tomadas, quer no 11 de Setembro, quer noutras alturas da sua vida política. Ele defende que foi por estar bem preparado anteriormente que conseguiu ter um bom desempenho após a catástrofe do 11 de Setembro.

É sem dúvida uma magnífica obra, quer do ponto de vista político, quer do ponto de vista da gestão (em geral).

"Uma das melhores lições que um líder pode transmitir à sua equipa é que a ocorrência de problemas é uma coisa normal. O que é intolerável é não falar sobre eles ou , pior ainda, encobri-los."

"Queria perguntar «Por que não?» sempre que me disserem «Não é assim que se faz»."


Rudolph Giuliani

TEMOS DE SALVAR AMINA

A Suprema Corte da Nigéria ratificou a sentença de morte por lapidação de AMINA. A sua sentença de morte foi adiada para que ela possa aleitar o seu filho.
Foi marcada a data de 3 de Junho para a sua execução. Nesse dia, ela será enterrada até o pescoço e morta à pedrada. A não ser que uma avalanche de protestos em todo o mundo faça recuar as autoridades nigerianas.

A Amnistia Internacional está a pedir o seu apoio. através de sua assinatura, na sua página da web. Com uma campanha deste tipo, no passado, foi salva a vida de uma outra mulher - Safiya - que se encontrava na mesma situação.

Desta feita parece estar a verificar-se um certo alheamento da opinião pública internacional e o abaixo-assinado que pretende evitar a morte de AMINA recebeu ainda poucas adesões.

Vá a www.amnistiapornigeria.org e assine!

Não pense que não serve para nada!!!
E faça circular esta mensagem entre pessoas que possam sensibilizar-se com esta terrível e estúpida ameaça de morte.

TALVEZ NÃO FOSSE MÁ IDEIA CONTINUAR O TRABALHO DE CASA!

"Bem sei que a língua portuguesa é uma realidade dinâmica, em «permanente enriquecimento», como dizem os espíritos mais ecuménicos destas paragens.

Por sinal, estou muito longe de ser um purista. Recordo-me mesmo de ter abolido, nos meus primeiros meses na direcção do DN, o abominável «uísque», com o argumento irrebatível de que a palavra serviria, quanto muito, para qualificar a mixórdia de Sacavém. O genuíno, o escocês, neste jornal chama-se whisky.

Pelo caminho, perdi _ ou desisti de travar... _ outras batalhas semelhantes. Mas institucionalizaram-se algumas grafias da estranja, optando pela clareza em detrimento das arrevesadas traduções portuguesas. Enterrados ficaram _ espero que para sempre... _ monstros como «Francoforte» ou «Aquisgrano», a favor da simplicidade perceptível de Frankfurt e Aachen, ou Aix-la-Chapelle, na versão francesa.

Tratou-se, basicamente, de aplicar o bom senso à escrita «em português», aproximando o que se lê da forma como se fala, resguardando, naturalmente, um conjunto de princípios indispensáveis .

Muito mais intransigente sou, confesso, face a todo um novo vocabulário que entrou no nosso quotidiano a partir daquilo que vai sendo conhecido como «o português dos adolescentes». É um léxico que mistura influências tropicais _ africanas e brasileiras _ com bytes de linguagem informática.

Continuo a resistir, mas já percebi que é uma luta sem esperança, sobretudo depois de o novo Dicionário da Academia ter consagrado os mais recentes grunhidos do nosso dia-a-dia.

A última moda nestas expressões que surgem não se sabe muito bem de onde é a saudação que agora precede o desligar do telefone: «Então vá...»

Irrita e tem subentendido um autoritarismo que revolta os espíritos rebeldes. Eu não vou!"


Mário Bettencourt Resendes - Diário de Notícias

"... Haverão prémios...." - Regulamento Concurso Disney do Diário de Notícias

IMBECIL DE DIREITA

Sim! É claro que também há imbecis de direita. E este é o campeão!

"Sou de direita, mas também aprecio restaurantes de esquerda"

Telmo Correia

quinta-feira, abril 17, 2003

Para todos uma boa Páscoa!

SCONES

Misture (à mão) 18 colheres de sopa bem cheias com farinha, com 6 colheres com leite, 3 de açucar, um ovo, meia colher de manteiga e uma pitada de sal. Forme um rolo e deixe descansar a massa meia hora. Corte no tamanho desejado (atenção que crescem um pouco) e coloque num tabuleiro previamente untado com manteiga e farinha. Leve ao forno a cerca de 180/200 graus até ganhar cor. Retire do forno e sirva com manteiga ou doce.

Bons lanches!

Nota: todas as receitas aqui indicadas foram previamente testadas e aprovadas por toda a família!
LEI DOS PARTIDOS POLÍTICOS

Prepara-se uma nova lei dos partidos políticos. A actual (DL 595/74) tem quase 29 anos!

Independentemente de uma análise mais profunda a efectuar na próxima semana (até porque tanto quanto sei ainda só deram entrada oficialmente na Assembleia da República propostas do PS - 202/IX, PCP- 225/IX e BE - 266/IX), fica já um pequeno comentário.

Por aquilo que já se conhece, é óbvio que as principais alterações têem como destinatários o PCP, todos os possíveis novos partidos e os pequenos partidos. Quer as alterações ao financiamento (nomeadamente tornando-o quase exclusivamente público), quer o aumento do número de assinaturas necessárias para criação de um novo partido, quer ainda as disposições sobre organização interna, vão afectar todos menos os dois principais partidos, PSD e PS.

Sintomaticamente, também não é desta que são introduzidos os circulos uninominais, provavelmente com aquele argumento hipócrita da defesa dos pequenos partidos (coitados, com circulos uninominais é que eles desapareciam), quando o mais provável era serem os maiores partidos os mais prejudicados. Mantem-se pois o sistema vigente, claramente beneficiador do PSD e PS.

E isto leva-me a outra questão: tão importante quanto a competição entre partidos é aquilo que eles omitem dessa competição. É este um dos principais factores que tem permitido desde 1975 a alternância quase permanente entre PS e PSD (com a única excepção da coligação entre os dois, de 1983 a 1985). Há muitos temas que que são filtrados pelos partidos do sistema enquanto outros são minimizados na competição entre eles. É o caso por exemplo da ocupação do Estado: PSD e PS vão-se revezando no Governo; quando na oposição criticam (quase sempre ao de leve) os "boys" do outro, mas quando chegam ao poder, toca a preencher o máximo de lugares com os militantes.

Este tipo de comportamento só vem provar, como tenho afirmado, que o sistema está caduco: é necessário mudar comportamentos, políticas, pessoas e provavelmente partidos.

quarta-feira, abril 16, 2003


A CONCHA

A minha casa é concha. Como os bichos
Segreguei-a de mim com paciência:
Fechada de marés, a sonhos e a lixos,
O horto e os muros só areia e ausência.

Minha casa sou eu e os meus caprichos.
O orgulho carregado de inocência
Se às vezes dá uma varanda, vence-a
O sal que os santos esboroou nos nichos.

E telhadosa de vidro, e escadarias
Frágeis, cobertas de hera, oh bronze falso!
Lareira aberta pelo vento, as salas frias.

A minha casa... Mas é outra a história:
Sou eu ao vento e à chuva, aqui descalço,
Sentado numa pedra de memória.

Vitorino Nemésio

PUROS - O Prazer que se aprende

1ª parte

Um dia, Churchill irritado com o marechal Montgomery que lhe dizia: "Não bebo, não fumo e durmo bastante. É por isso que estou 100 % em forma" replicou: "Pois eu bebo muito, durmo pouco e fumo charuto atrás de charuto. É por isso que estou 200 % em forma".

Fumar um charuto deve ser sempre um prazer, mas é um prazer que se aprende. O melhor de um charuto não se obtem imediatamente.

Os charutos não foram feitos para satisfazer o vício do tabaco. Constituem um prazer para os olhos, para o nariz, para o palato e para o tacto.

Da forma como for aceso vai depender a qualidade da tiragem.
O corta-charutos deve trinchar claramente uma secção suficientemente larga para evitar uma concentração nociva de nicotina.

Deve-se acender um charuto com um fósforo de madeira ou um isqueiro a gás. Primeiro, virá-lo lentamente, deixando-o queimar levemente a ponta, depois dando duas ou três fumaças continuando a virá-lo e por fim soprando um pouco na extremidade incandescente. O charuto, impecavelmente aceso, exalará um fumo azul, subtil.

O fumo do charuto não deve ser inalado. É suficiente e plenamente satisfatória a sensação deixada pelo gosto do fumo na boca.

Se não puder fumar charutos no Céu, não irei para o Céu. Mark Twain

terça-feira, abril 15, 2003


AS PALAVRAS

São como um cristal,
as palavras.
Algumas, um punhal,
um incêndio.
Outras,
orvalho apenas.

Secretas vêm, cheias de memória.
Inseguras navegam:
barcos ou beijos,
as águas estremecem.

Desamparadas, inocentes,
leves.
Tecidas são de luz
e são a noite.
E mesmo pálidas
verdes paraísos lembram ainda.

Quem as escuta? Quem
as recolhe, assim,
cruéis, desfeitas,
nas suas conchas puras?

Eugénio de Andrade


AS GALINHAS RELATIVAS

Tenho-me rido até mais não desde que surgiram As Galinhas Relativas.

Aliás, já não me ria tanto desde a Fuga do Guterres.

Só há uma coisa que não percebo muito bem: porque é que têem sempre a tendência para avaliar os outros pelos seus próprios comportamentos e desejos; é o Monteiro que é ressabiado, os americanos que reescrevem a história, milhares de iraquianos que continuam a despejar cartuxos de kalachnikovs sobre os blindados americanos e muitas outras deste quilate!

Olhem, camaradas, para a gente se continuar a rir, porque é que não nos falam do Narciso e do Assis, das cenas de pugilato no PS/Porto e de mais uma anedotas semelhantes que por aí se passam. Contem, contem, que cá estaremos para nos rirmos.

segunda-feira, abril 14, 2003


NITROFURANOS E VACAS LOUCAS

São cada vez maiores os indícios de que a contaminação verificada nas carnes de galinhas, perus e afins se deve essencialmente ao consumo por estes de rações contendo nitrofuranos. Parece que apenas em três das 43 explorações afectadas os valores são de tal maneira elevados que indiciam claramente o seu fornecimento "directo" aos animais.

Ora a maior parte das rações vem de Espanha e são também decerto consumidas por lá. Logo....

Tudo isto me faz lembrar o caso das vacas loucas. Portugal comunicou vários casos e sofreu um embargo enquanto os espanhóis passaram incólumes. Mas por lá é que continuam a aparecer casos suspeitos da Creutzfeldt-Jakob, conforme reporta a revista Tiempo desta semana. E passam-se coisas muito esquisitas, como um sujeito que morre depois de ter tido todos os sintomas da doença nomeadamente uma violenta erupção cutânea na fase terminal e nada é dito à esposa, que por lutar para saber a verdade acaba por ser declarada louca, num processo verdadeiramente kafkiano.

SEGREDO

Sei um ninho.
E o ninho tem um ovo.
E o ovo, redondinho,
Tem lá dentro um passarinho
Novo.

Mas escusam de me atentar:
Nem o tiro, nem o ensino.
Quero ser um bom menino
E guardar
Este segredo comigo.
E ter depois um amigo
Que faça o pino
A voar...

Miguel Torga, in Diário VIII

AGORA É QUE ELE ACORDOU...

...até parece que é a primeira vez que há fuzilamentos deste género!

"Cuba não ganhou nenhuma heróica batalha fuzilando esses três homens, mas perdeu a minha confiança, destruiu as minhas esperanças e defraudou as minhas expectativas."

José Saramago

LERAM ESTA POR CÁ?

EN CUESTION DE DIAS LA DICTADURA ENJUICIA,
DENIEGA APELACION Y EJECUTA
A LOS TRES JOVENES SECUESTRADORES DE FERRY

Tres hombres que la semana pasada secuestraron un ferry en La Habana fueron ejecutados en la madrugada del viernes tras haber sido condenados por "graves delitos de terrorismo" en un juicio sumario, dijo el gobierno cubano.

"Al amanecer de hoy las sanciones fueron aplicadas", dijo una nota oficial leída en un noticiero estatal.

Un tribunal de La Habana los condenó el 8 de abril a pena de muerte y la condena fue ratificada luego por otro tribunal superior y por el Consejo de Estado, adonde recurrieron los condenados.

Otros participantes en el secuestro fueron condenados a cadena perpetua.

Los condenados secuestraron la semana pasada un transbordador que realizaba el trayecto entre La Habana y la localidad cercana de Regla con 40 pasajeros a bordo, con la intención de dirigirse a Estados Unidos.

Pero la embarcación se quedó sin combustible a 45 kilómetros de Cuba. El tenso secuestro finalizó cuando, tras 38 tensas horas, una turista francesa se tiró al agua, desencadenando la captura de los secuestradores, que llevaban una pistola y cuchillos.


OS IMPRESCINDÍVEIS DO MOMENTO

Coloquei links para os blogs que na minha opinião (altamente subjectiva, claro!) têem os melhores artigos/comentários a cada vez que eu dê uma volta pela blogosfera aqui referida na coluna da direita.

Esta escolha (subjectiva e pessoal, repito) é independente de qualquer critério político, pelo que se eu achar interessante qualquer coisa escrita, por exemplo, no BLOG DE ESQUERDA, não terei problema algum em o colocar no meu "quadro de honra". (Ok, Charlotte?)

domingo, abril 13, 2003


É PRECISO TER (MUITA) LATA!

"Concordo com a integração do gás e da electricidade."

Joaquim Pina Moura, DN sáb. 13/4/2003

CARLOS CRUZ, CULPADO OU INOCENTE?

Este caso, dado o seu mediatismo, promete ser ou a recuperação da credibilidade da Justiça Portuguesa ou a machadada final (La Pallisse não diria melhor!).

Independentemente daquilo que cada um pensa, aconselho a consulta ao seguinte site:

reporterx.net



O CAOS EM BAGDAD

Àqueles que (à falta de melhor, dadas as sucessivas derrotas) criticam o facto de as forças aliadas ainda não terem conseguido restabelecer a ordem em Bagdad, coloco só as seguintes perguntas:

- Seria expectável que com a queda do regime também surgisse o colapso da polícia (esta ainda vá que não vá...), dos bombeiros, dos serviços de água e electricidade e de outros serviços?

- O que foram lá fazer os combatentes estrangeiros vindos dos países vizinhos? Combater pelo Saddam ou participar nas pilhagens?

- Quem foi que antes de fugir abriu as portas das prisões e hospitais psiquiátricos para provocar o caos?

sexta-feira, abril 11, 2003


HÁ-DE FLUTUAR UMA CIDADE...

há-de flutuar uma cidade no crepúsculo da vida
pensava eu... como seriam felizes as mulheres
à beira mar debruçadas para a luz caiada
remendando o pano das velas espiando o mar
e a longitude do amor embarcado

por vezes
uma gaivota pousava nas águas
outras era o sol que cegava
e um dardo de sangue alastrava pelo linho da noite
os dias lentíssimos... sem ninguém

e nunca me disseram o nome daquele oceano
esperei sentado à porta... dantes escrevia cartas
punha-me a olhar a risca de mar ao fundo da rua
assim envelheci... acreditando que algum homem ao passar
se espantasse com a minha solidão

(anos mais tarde, recordo agora, cresceu-me uma pérola no
coração. mas estou só, muito só, não tenho a quem a deixar.)

um dia houve
que nunca mais avistei cidades crepusculares
e os barcos deixaram de fazer escala à minha porta
inclino-me de novo para o pano deste século
recomeço a bordar ou a dormir
tanto faz
sempre tive dúvidas que alguma vez me visite a felicidade

Al Berto


E AGORA..... A(s) RÁDIO(s)!

Links ao fundo , à direita.

quinta-feira, abril 10, 2003


ISTO É AREIA DE MAIS PARA A MINHA CAMIONETA

"Os tempos correm impositivos. Mas democráticos. São tempos democraticamente impositivos."

António José Teixeira - jornalista DN

LINKS

Colocados mais alguns sites, agora de BD franco-belga.

LINKS

Procedi a algumas alterações, acrescentando sites relativos a charutos. Em breve seguir-se-ão outros links de outros prazeres.
CARTA AL MUNDO DE LA ESPOSA DE UN ACTIVISTA PACIFICO EN CUBA

Soy Elsa Morejon Hernandez, mujer cristiana, defensora de los derechos humanos en Cuba. Es mi deseo que esta misiva sirva de testimonio al mundo sobre las injusticias y el terror psicologico que estamos sufriendo en este momento aquellos que luchamos pacificamente en nuestro pais por la libertad de todos los cubanos.

Mi esposo, el Dr. Oscar Elias Biscet Gonzalez, presidente de La Fundacion Lawton de Derechos Humanos es un activista pro-democracia, actualmente encarcelado y acusado de cometer delitos contra la Seguridad del Estado. El ha sufrido lo que padecen todos aquellos que dentro de Cuba se oponen al regimen comunista cubano: maltratos fisicos y psicologicos a traves de golpizas, amenazas, humillaciones, chantajes, interrogatorios intimidatorios y encarcelaciones arbitrarias en celdas deprivadas de luz junto a criminales comunes y dementes. La Seguridad del Estado ha tratado de someterlo a examenes psiquiatricos, lo han presionado a que abandone Cuba y se le ha prohibido practicar su profesion.

Por su lucha pacifica en favor de los derechos humanos, mi esposo tuvo que cumplir una sentencia de tres años en la prision de maxima seguridad "Cuba Si" a 768 kilometros de su familia. Tras su liberacion el pasado 31 de octubre del 2002, fue arrestado 36 dias despues, el 6 de diciembre, al intentar reunirse con otros activistas para tratar el tema de los derechos humanos. Permanecio 19 dias en un calabozo de la Policia Nacional Revolucionaria durmiendo en el suelo y compartiendo una celda con 5 delincuentes. Fue trasladado el 24 de diciembre a la prision del Combinado del Este donde estuvo confinado junto a 30 presos comunes. Se encuentra desde el 29 de marzo en Villa Marista, Cuartel de La Policia Politica en La Habana y esta citado el lunes 7 de abril a comparecer ante el Tribunal Municipal 10 de Octubre. Las autoridades le solicitan una sentencia de 25 años, basado en el articulo 91 del codigo penal cubano que implica Delitos Contra La Seguridad Exterior del Estado.

A mi esposo, el Dr. Oscar Elías Biscet lo han implicado en una ola de arrestos de casi un centenar de periodistas y activistas civicos que comenzo el pasado 18 de marzo en toda la isla. Por disentir de forma pacifica las autoridades en Cuba solicitan para estos cubanos largas condenas de carcel y hasta la pena de muerte bajo acusaciones de colaborar con una potencia extranjera y poner en peligro la soberania nacional.

Estas acusaciones que le imputan a mi esposo no guardan relacion con las actividades pacificas, publicas y transparentes que el viene realizando en defensa de la vida y los derechos humanos. El arma que el utiliza son sus ideales y el deseo de que en Cuba se respeten derechos civicos y politicos.

Se le ha prohibido asociarse a organizaciones independientes ya que en Cuba todas las ONGS responden a los intereses del sistema comunista actual.

Nosotros nunca nos hemos plegado a ningun estado extranjero. Hemos recurrido a sedes diplomaticas en busca de solidaridad, expresando nuestro anhelo de vivir en libertad en nuestro propio pais.

Convencida de la inocencia de mi esposo y la de todos los activistas encarcelados, le pido urgentemente, a dignatarios de naciones democraticas, a organizaciones de derechos humanos, lideres religiosos, civicos y politicos, a la prensa internacional y hombres y mujeres de buena fe en el mundo, que exijan ante el regimen cubano la libertad incondicional e inmediata del Dr. Oscar Elias Biscet y de todos los presos en Cuba, cuyo unico delito es honrar la Declaracion Universal de los Derechos Humanos en su propio pais.

Elsa Morejon Hernandez
Acosta 464 entre 8va y 9na, Lawton, Municipio 10 de Octubre, La Habana, Cuba.


PROTESTEMOS:

Biscet








quarta-feira, abril 09, 2003


VALETE FRATRES!


Em comentário ao texto de título "A INTENÇÃO É AUMENTAR A ABSTENÇÃO?" ontem publicado (ver mais abaixo), o João Noronha fala várias vezes em novo partido, dizendo até que eu teria afirmado que precisávamos de partidos novos.

Por acaso não digo que precisamos de partidos novos nesse texto vez nenhuma! Falei em novos políticos e soluções novas. É claro que não havendo capacidade de regeneração dos actuais partidos, tal terá de ser feito através da formação de novos partidos. A questão está em saber se os actuais partidos terão essa capacidade ou não.

Quanto aos vícios antigos, é óbvio que se manterão se as pessoas forem as mesmas. É neste aspecto que eu insisto: são precisos novos políticos, pessoas vindas da dita "sociedade civil" (grande palavrão!), que possam renovar o sistema e a forma de fazer política.

A QUEDA DO MURO

As imagens que nos chegam do Iraque fazem-me lembrar a queda do muro de Berlim!

E acho que os paralelismos não se vão ficar pelas imagens só: tal como a queda do muro de Berlim significou a queda do comunismo no bloco de leste, também me parece que a mensagem vai chegar à maioria dos países que apoiam o terrorismo e vamos assistir a uma viragem nessa área.

LIBERDADE!

Populares iraquianos ajudados por militares norte-americanos estão esta quarta-feira à tarde prestes a derrubar uma estátua de Saddam Hussein no centro de Bagdad, o que significa a queda simbólica do regime que nos últimos 25 anos vigorou no Iraque. Sem um tiro, numerosos iraquianos rodearam as tropas que entraram no coração se Bagdad, saudando a «libertação».

Depois da chegada das tropas da coligação à praça de Sahid, os populares treparam por uma enorme estátua do presidente iraquiano no centro da rotunda, rodeando-a com cordas para ser arrancada do pedestal com a ajuda dos tanques aliados.

Pelas 13:34 em Lisboa, uma numerosa coluna de tanques da coligação entrou no centro de Bagdad, estacionando junto dos hotéis Palestina e Sheraton, onde está hospedada a maioria dos jornalistas estrangeiros na capital iraquiana.

Num ambiente de descontracção, as tropas norte-americanas foram rodeadas primeiro por jornalistas, depois por numerosos populares, que aclamaram a «libertação», de acordo com testemunhos recolhidos pelas televisões.
in Diário Digital



LIBERDADE

Sobre esta página escrevo
teu nome que no peito trago escrito
laranja verde limão
amargo e doce o teu nome.

Sobre esta página escrevo
o teu nome de muitos nomes feito água e fogo lenha vento
primavera pátria exílio.

Teu nome onde exilado habito e canto mais do que nome: navio
onde já fui marinheiro
naufragado no teu nome.

Sobre esta página escrevo o teu nome: tempestade.
E mais do que nome: sangue. Amor e morte. Navio.

Esta chama ateada no meu peito
por quem morro por quem vivo este nome rosa e cardo
por quem livre sou cativo.

Sobre esta página escrevo o
teu nome: liberdade.

Manuel Alegre

terça-feira, abril 08, 2003


A INTENÇÃO É AUMENTAR A ABSTENÇÃO?

Segundo estudos em curso do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, em colaboração com organismos de outros países europeus, sobre abstenção eleitoral, quanto mais baixo o nível de confiança nas instituições, mais elevada é a abstenção.

Outra correlação já confirmada é que sistemas eleitorais que impedem ou limitam a personalização de candidaturas levam a uma diminuição da participação.

Ora o que é que se podia ler hoje nos jornais?

"Almeida Santos e Mota Amaral de acordo contra a criação de uma segunda câmara e dos círculos uninominais"

"Começou o saneamento de autarcas pelo PCP"

"Gaspar responde a críticas sobre agressão no congresso"

Se já não bastasse o descrédito gerado pelo Parlamento por comportamentos diversos que vão desde o absentismo, baixa produtividade, mau comportamento (por exemplo a recente palhaçada das t-shirts pelo BE), às comissões parlamentares de inquérito com decisões tomadas à partida segundo a cor partidária, bastava observar estas notícias para perceber que os comportamentos dos políticos estão cada vez mais afastados daquilo que deveriam ser, originando um cada vez maior afastamento entre eleitos e (possíveis) eleitores.

O sistema está gasto e caduco. É claramente necessário que surjam novos políticos, com soluções novas.


VOZ NUMA PEDRA

Não adoro o passado
não sou três vezes mestre
não combinei nada com as furnas
não é para isso que eu cá ando
decerto vi Osíris porém chamava-se ele nessa altura Luiz
decerto fui com Isis mas disse-lhe eu que me chamava João
nenhuma nenhuma palavra está completa
nem mesmo em alemão que as tem tão grandes
assim também eu nunca te direi o que sei
a não ser pelo arco em flecha negro e azul do vento

Não digo como o outro: sei que não sei nada
sei muito bem que soube sempre umas coisas
que isso pesa
que lanço os turbilhões e vejo o arco íris
acreditando ser ele o agente supremo
do coração do mundo
vaso de liberdade expurgada do menstruo
rosa viva diante dos nossos olhos
Ainda longe longe essa cidade futura
onde «a poesia não mais ritmará a acção
porque caminhará adiante dela»
Os pregadores de morte vão acabar?
Os segadores do amor vão acabar?
A tortura dos olhos vai acabar?
Passa-me então aquele canivete
porque há imenso que começar a podar
passa não me olhas como se olha um bruxo
detentor do milagre da verdade
a machadada e o propósito de não sacrificar-se não construirão ao sol coisa nenhuma
nada está escrito afinal

Mário Cesariny

SÓ CONTARAM P'RA VOCÊ!

"Só por meios desonestos se consegue enriquecer na política".

Mota Amaral

EMITIR UMA OPINIÃO É TRAIÇÃO À PÁTRIA

Os jornalistas e escritores cubanos têm a vida muito difícil, como se comprova no processo sumaríssimo que acaba de levar 78 intelectuais ao banco dos réus. Tudo ao abrigo de uma lei de 1999 que considera «traição à pátria» na ilha comunista algo tão banal noutras paragens como divulgar um texto de opinião na Internet. Se criticar o Governo de Fidel Castro, que se encontra desde 1959 no poder, o autor arrisca um mínimo de 15 anos de detenção e um máximo de prisão perpétua. in DN

Palavras para quê?

segunda-feira, abril 07, 2003


EXCITAÇÕES

"...nestas coisas o melhor é ser de esquerda. Dorme-se melhor à noite."

Mark Kirkby

E OS MILHARES DE CURDOS?

E os milhares de curdos e xiitas mandados matar pelo Saddham?

E as ossadas encontradas num armazém, ao pé de um muro cravejado de balas?

E as torneiras de ouro de um palácio mostradas pela BBC, construído decerto enquanto muitos morriam à fome? E os mármores e belas madeiras?

Francamente, Relativos! (artigo de título: Enjoativo)

O Pais Relativo

E O QUE DIRÁ HOJE O AL SAHAF?

Devem ser mais umas invenções dos EUA!

Report: U.S. Finds Missiles with Chemical Weapons

WASHINGTON (Reuters) - U.S. forces near Baghdad found a weapons cache of around 20 medium-range missiles equipped with potent chemical weapons, the U.S. news station National Public Radio reported on Monday.

NPR, which attributed the report to a top official with the 1st Marine Division, said the rockets, BM-21 missiles, were equipped with sarin and mustard gas and were "ready to fire." It quoted the source as saying new U.S. intelligence data showed the chemicals were "not just trace elements."

It said the cache was discovered by Marines with the 101st Airborne Division, which was following up behind the Army after it seized Baghdad's international airport.

U.S. Central Command headquarters in Qatar had no immediate comment.
The United States and Britain launched the war against Iraq to rid the country of weapons of mass destruction. Iraq denies having such weapons.


ASSUMIRAM-SE?

"Puta de esquerda assssssssumida dedicada à política, à cultura (e cada vez menos à invasão em curso). "

CruzesCanhoto
PRÉMIO MENTIROSO DO ANO

...vai para Muhammed al Sahaf

Vale a pena ler:

A mentira espectáculo
The Al-Sahaf Show

A INVASÃO DOS BLOGS

Todos os dias surgem novos blogs. Entre os mais recentes, já tinha aqui colocado um link para "A Espada Relativa - Trapézio numa lâmina de dois gumes". Mas após uns dias, devo chamar outra vez a vossa atenção para ele, tão bom que é!

A Espada Relativa

domingo, abril 06, 2003


HISTORIA

Li neste fim de semana um artigo interessante na Historia francesa sobre as inundações em Paris. E se fosse cá? Ao pé de algumas das que nos são relatadas no artigo (é pena que na versão net não constem as fotos) as nossas cheias no Douro ou no Tejo até parecem pequenas! Praticamente todas as linhas de metro e RER seriam interrompidas se houvesse uma cheia semelhante à de 1910; 650.000 pessoas seriam afectadas, milhares de casas e escritórios privados de electricidade e de água potável!
Artigo
Mapa


sexta-feira, abril 04, 2003

Tenham um doce fim-de-semana!

ENCHARCADA

Ponha 500 gramas de açucar em ponto de cabelo, juntamente com a casca de um limão. Deite 16 gemas e uma clara batidas e deixe ferver para os ovos cozerem, sempre a mexer. Retire do lume, deite em terrina e polvilhe com canela. Leve ao forno, 10/15 minutos a corar.

O QUE ESTÁ EM CAUSA

Vale a pena ler o artigo de ontem do Francisco José Viegas no JN, cujo link se segue. É muito claro neste artigo o que está em causa: não apenas a liquidação do regime iraquiano, mas também o começo do fim de todo um conjunto de ditaduras e financiadores do terrorismo existentes na região.

Francisco José Viegas

Reacções

Mandem as vossas opiniões para jcf_fumaca@mail.pt



BELA ANEDOTA !

Convenção Europeia - Projecto de artigos do Tratado Constitucional

Artigo 14.º: Política externa e de segurança comum

"Os Estados-Membros apoiarão activamente e sem reservas a política externa e de segurança comum da União num espírito de lealdade e de solidariedade mútua. Abster-se-ão de toda e qualquer acção contrária aos interesses da União ou susceptível de prejudicar a sua eficácia."

Mas como é que é possível continuarem a (tentar) insistir nesta posição federalista? Se os interesses dos vários Estados europeus divergem, como é que pode haver uma política única?

BALADA DA NEVE

Batem leve, levemente,
como quem chama por mim.
Será chuva? Será gente?
Gente não é, certamente
e a chuva não bate assim.

É talvez a ventania:
mas há pouco, há poucochinho,
nem uma agulha bulia
na quieta melancolia
dos pinheiros do caminho...

Quem bate, assim, levemente,
com tão estranha leveza,
que mal se ouve, mal se sente?
Não é chuva, nem é gente,
nem é vento com certeza.

Fui ver. A neve caía
do azul cinzento do céu,
branca e leve, branca e fria...
– Há quanto tempo a não via!
E que saudades, Deus meu!

Olho-a através da vidraça.
Pôs tudo da cor do linho.
Passa gente e, quando passa,
os passos imprime e traça
na brancura do caminho...

Fico olhando esses sinais
da pobre gente que avança,
e noto, por entre os mais,
os traços miniaturais
duns pezitos de criança...

E descalcinhos, doridos...
a neve deixa inda vê-los,
primeiro, bem definidos,
depois, em sulcos compridos,
porque não podia erguê-los!...

Que quem já é pecador
sofra tormentos, enfim!
Mas as crianças, Senhor,
porque lhes dais tanta dor?!...
Porque padecem assim?!...

E uma infinita tristeza,
uma funda turbação
entra em mim, fica em mim presa.
Cai neve na Natureza
– e cai no meu coração.

Augusto Gil

quinta-feira, abril 03, 2003


BAGHDAD

Vale a pena a consulta ao site InstaPundit.com, no seguinte link, que reproduz imagens tiradas por satélite da Space Imaging Eurasia. A nitidez é impressionante e quem ainda não tiver compreendido o significado de bombardeamentos cirúrgicos, fica logo a perceber!

InstaPundit.com
AI COITADINHOS!

Já desligaram a máquina....

Partido Popular


COHIBA

Em especial para o Waldorf do Blogue dos Marretas, alguns considerandos sobre charutos. Prometo desde já para daqui a alguns dias um texto mais pormenorizado. Os preços indicados são os de Espanha, dado que apesar de sucessivas baixas de preço em Portugal, ainda compensa, para quem compre duas ou três caixas de cada vez, a deslocação a Espanha.

Apesar de ter registado grandes melhorias de qualidade nos últimos tempos, a relação qualidade/preço dos charutos COHIBA continua a não ser a melhor, dado que os preço são dos mais elevados entre as várias marcas de charutos cubanos.

Para iniciação, entre os mais recomendáveis está decerto o charuto mais vendido no mundo, o MONTECRISTO nº 4.
Possui um bom equilíbrio entre a potência e o aroma e é muito regular. Custa (em Espanha) 3,65 €.

Para quem já esteja mais habituado aos charutos, sugiro um Punch-Punch da PUNCH, muito potente e equilibrado (mas desaconselhado aos amantes de suavidade). Custa 6,20€.

Também é muito boa aquisição o robusto da VEGAS ROBAINA, Famosos de seu nome. Custa 4,80€ , tem aromas de especiarias e mel e muita raça!

Por fim, para fumadores habituais de charutos (comecem com um destes e ficam mais verdes do que uma bandeira do Sporting!), recomendo o Lusitanias da PARTAGAS. Um senhor! Equilibrado, denso, saboroso, com um magnífico acabamento e uma tiragem perfeita. Custa 9,30€. (Não há equivalente na COHIBA, mas apenas para comparação, a vitola mais próxima - Esplendidos - custa 16,95€)

Também recomendo o Unicos da VEGAS ROBAINA. Custa 6,40€ e é rei na categoria dos "obus". Esteticamente perfeito, com boa cadência e algum sabor a pimenta verde.

Tal como disse no início, em breve voltarei a este tema de forma mais pormenorizada nomeadamente explicando os vários conceitos deste mundo dos charutos.

quarta-feira, abril 02, 2003


"O" site

Depois de muito esforço e muitas horas passadas a pesquisar, encontrei finalmente:

”O” site


CASI NUNCA TE HE DICHO QUE ERES BELLA

Casi nunca te he dicho que eres bella
Ni es preciso ni tú lo necesitas
Las ansias de mi amor son infinitas
Y no pueden contarse las estrellas
Se admira el cielo y no se dice nada
El amor verdadero es casi mudo
Es casto el aire porque está desnudo
La voz del corazón es la mirada

In Fortuna y lástimas de amor, 1994, Rafael Lasso de La Vega

E PORQUE É QUE NÃO FICÁSTE LÁ, PÁ?

"Eu conheci o Saddam, pá! É um grande líder"

Otelo Saraiva de Carvalho

O FUTURO DA EUROPA

A reunião de sete chefes de Governo (Portugal, Áustria, Bélgica, Finlândia, Holanda, Irlanda e Luxemburgo) para concertar posições sobre o modelo institucional da União Europeia pós-alargamento veio provar, mais uma vez, que a Europa é uma manta de retalhos e não foram as divergências sobre o Iraque que levaram a essa situação. A desconfiança entre “parceiros” é profunda; já tinhamos o eixo franco-alemão de um lado, a Espanha e o Reino Unido de outro, a Itália a olhar desconfiada e agora pelas notícias temos mais este grupo (“dos pequenos”?).

Foi a pressa de construir o edifício começando pelo telhado.

Não houve consolidação, houve apenas pressa de chegar ao fim que alguns tinham: a federação europeia.

LIXARAM-SE!

terça-feira, abril 01, 2003

E QUAL É A MELHOR?

"Enquanto uma pessoa não tiver saboreado um bom charuto e um bom whisky, não conhece as segunda e terceira melhores coisas da vida."

Alan J. Lerner

CORREIO

Começam a chegar as primeiras reacções.

Obrigado à colega Felisbela pelas suas gentis palavras (já sentia saudades de ler os seus escritos).

Ao Manuel Pinheiro também agradeço o que disse (se gosta de charutos, política e poesia certamente que o blog será tudo menos desinteressante). Também pode contar comigo para divulgar toda a "concorrência" que o mereça, como é o seu caso.

Continuem a dar a vossa opinião! O feed-back é importante.

IMPORTA-SE DE EXPLICAR MELHOR?

P: - Chicote ou algemas?

R: - Uma boa massagem

Marisa Cruz - à MAXMEN
Para esta, 1º de Abril é todos os dias.....

"A ONU era uma pedra de garante da Educação em
muitos pontos do globo."

Jamila Madeira

ALEXANDRIA

Lisboa não é Alexandria mas
Alexandria não passa de uma metrópole
em versos subida e sublimada, a sua geometria,
as incisões do pequeno desespero.
Dêem-me uma cidade, que esta minha
está cansada e não quero outra,
escadarias em que se desce sempre,
velhas varandas apalaçadas,
dêem-me uma Alexandria do pensamento,
com uma antiguidade a dourar cada hora,
cada entardecer, mas uma antiguidade
falsa, hiperbólica,
subtil de tão imaginada, unreal city.
Lisboa não é Alexandria e está cansada, houve sítios
que conheci, outros ocultos,
percursos que adivinho no avanço
das multidões, dias de festa,
lambris de janelas, amuradas.
Não quero este rio, nem o outro,
heraclitiano, que me oferecem
umas breves obras completas na estante.
Dêem-me uma cidade terrestre, sem posteridade
ou idioma, uma cidade para que eu possa
inaugurar o passado das ruas
e, sem outro propósito, respirar.

Pedro Mexia